A primeira audição de Kika foi através da música “Sai da Frente” do maravilhoso album “Pra Viagem”, e a minha reação imediata, desde os primeiros acordes, foi o desbunde com a sonoridade dos arranjos instrumentais. “Sai da Frente” é um reggae rasgado cheio de malemolência, com um baixo arrasador e a capacidade imediata de te levar pra uma viagem sem volta. Em seguida veio a voz da Kika sussurrando um português libidinoso, numa fala cheia de malícia e doçura, mantida constante e hipnoticamente até a última faixa.

O album é cheio de alegria e tem um positivismo necessário e vital para os dias de hoje. A banda é sensacional e  a produção musical de Victor Rice faz jus aos primórdios discos da Island percursora do dub/reggae nos anos 80. A mistura dub com MPB fez um caldo único que coloca Kika como uma das mais agradáveis surpresas na musica brasileira atual.

Ainda fascinado, devorei o album seguinte, “Viajante” mais maduro e mantendo a mesma sonoridade e competência. Nele percebemos que o universo musical de Kika, vai muito além do reggae, e persiste na ousadia e inovação nos arranjos como por exemplo na regravação do clássico de João Donato “Flor de maracujá” ja gravado e regravado por grandes nomes da MPB, mas não deste jeito.

Kika prova que São Paulo continua sendo o celeiro da musica de qualidade no Brasil, desde os Mutantes passando pelo Rumo e Itamar Assumpção até as atuais Tulipa Ruiz, Barbara Eugenia, Anelis Assumpção, Iara Renno e outras delícias que só tocam aqui na Lapaloop.

Aproveite!

Translate »